Vivência de Yoga da Caxemira

 

Os seminários são uma imersão no coração desta abordagem, que só pode ser plenamente compreendida se for vivenciada em várias sessões. Ao longo do seminário, o praticante irá deslizar em um espaço de não compreensão e de não memória, onde apenas o corpo constitui o guia para a prática. As trocas, na forma de perguntas e respostas, permitirão captar a orientação metafísica do ensinamento dos Tantras (textos sagrados) tal como se transpõe dentro da prática mas também na vida, face às experiências cotidianas e as emoções. Este trabalho engloba cada instante da vida, cada seminário é novo, cada prática aparece no instante sem preparação.

 

 
 
Mariette Raina Yoga Cachemirien Montreal canada.jpeg
 
 

TESTEMUNHOS

"Para nos revelar sua beleza, a vida somente encontra seu espaço em um abandono, em uma total impotência de sermos o que quer que seja.
Recentemente, durante uma viagem ao Canadá, eu me via em sonhos em um avião que começava a aproximar-se da cima das árvores. Eu me fiz a observação que voávamos muito baixo. Então as árvores chegaram ao nível das asas e eu constatava: vamos bater! Por um instante, um reflexo de medo apareceu, rapidamente substituído por uma extraordinária curiosidade: “finalmente vou saber se todos os absurdos que digo tem algum sentido!” ... uma alegria imensa apareceu. A asa do avião foi arrancada por uma árvore e eu acordei em um transe de alegria. Esta alegria aparece quando a morte é evidente e inevitável.
O sentimento do medo é extraordinário. Ter medo dos cachorros, de estar só, de ser golpeado, de perder seu dinheiro ou seus filhos – cada um com sua fantasia: é sempre o mesmo medo. Quando eu sinto esse medo aparecer, não importa do que, e eu fico disponível, este medo fica sensorial e encontra sua liberdade.
Nada a pensar, nada a compreender. Não podemos explicar nada: somente nos contar fantasias. Sentir é muito fácil e accessível; mas tudo que você pode pensar ou ler sobre a morte não é nada além de fantasia. Cada tradição criou suas próprias teorias cheias de bobagens. Toda a expressão artística vive dessas bobagens – e nisso está seu valor. Mas somente devemos considerá-las em função da arte e da beleza. É um pretexto para expressar a beleza, assim como o são o medo, a solidão, a tristeza, todas essas emoções de onde nascem a arte indiana ou a música europeia. 
A morte nada mais é que uma palavra. Cada um a veste da sua forma. Quando você se deita de noite, você deixa feliz a sua vida: é uma forma de morte. Se você regularmente se entrega ao sono com clareza, se você deixa seu corpo se abandonar, o medo psicológico da morte pode em muito diminuir. Ela pode voltar por alguns instantes em algumas situações, mas isso não vai durar muito como medo"

Para mim o verdadeiro Mestre é aquele que é aquilo que ensina. 
A experiência de "ser tocada" pela experiência em si mesma talvez possa se aproximar do que senti ao ser conduzida na prática do Tantra Yoga da Caxemira por Mariette Raina. 
Uma oportunidade de visitar caminhos internos muito profundos e descobrir novas maneiras de estar na Vida. 
Este trabalho abriu importantes portas dentro de mim e a compreensão de que tudo o que preciso é me permitir viver a experiência em si. Nada mais..... 
Se a vida é um conjunto de experiências vividas, se permitir escolher esta experiência para ser vivida é um presente muito precioso e nutridor para si mesmo e no meu caso, para minha alma. 

Ilka Ramalho Vecchiatti

 

"A pratica do tantra yoga da Caxemira, que conheci com Mariette Raina ano passado e incorporei à minha vida diária, me trouxe um senso de presença muito maior, mais real, mais vivo. Experimentar no corpo algo que depois se expande ao redor de si, integrando todas as coisas da vida na existência simples, aqui, agora. E a pratica é deliciosa! Eu recomendo demais!!"

LEIA MAIS

Ana Luiza Feres

 

Me surpreendi muito com a profundidade e leveza do Tantra da Caxemira, diferente de tudo o que li e já experienciei ao longo desses doze anos de aprendizado no mundo do Yoga.
Uma proposta revolucionária do ponto de vista psíquico e corporal.

Rodrigo Mattos
Prof° de Hatha Yoga e Psicólogo